Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alexandra Neto

Ter | 27.02.18

COMO CONSEGUIR ESTILO PRÓPRIO

Com tanta informação e inspiração constantes, tantas novidades, velocidade das tendências no máximo: são um sem-fim de estímulos, que nos levam a querer e, claro, a consumir mais mas não necessariamente melhor. Nesta fase, tudo parece mais fácil - existe oferta para todos os gostos e carteiras, mas não acho. É, sem dúvida, mais difícil percebermos o nosso estilo (e, consequentemente, o que queremos consumir).


Mas, sim, ter um estilo próprio e vincado é tudo nesta vida. Dá-nos mais confiança, é melhor, torna as nossas manhãs mais fáceis, faz do acto de vestir algo muito mais divertido! Sem contar que, igualmente importante, nos permite poupar dentro do que desejamos - ou, pelo menos, a não desperdiçar dinheiro em peças que não precisamos nem queremos!


Sigam o post:

Pesquisar, perceber os mood/vibes com os quais se identificam.

Recentemente voltei a tornar-me viciada no Pinterest. Retiro imensas imagens de lá, guardo imensas pastas no telefone, com prints de lá e do Instagram, claro. Tenho pastas em várias "plataformas" e adoro este processo de me perder em "pesquisas visuais". Mais do que tirar notas ou copiar - sabem que não é essa a minha filosofia - vejo muitas coisas, pequenos truques, e muitas ideias.

Normalmente, vemos que os estilos que nos atraem são sempre os mesmos, baseados no mesmo géneros de peças. E é esse o caminho!



Conforto ou estilo? Escolher, e comprar em consonância.

Sim, temos de escolher. Sim, existem estilos confortáveis com estilo, a questão é: estão dispostas a abdicar do conforto em prol de peças e acessórios com um certo estilo? A peça mais óbvia: os tacões!

Pegando nisto é ter sempre em mente quando compramos novas peças: se sabemos que não gostamos de abdicar do conforto, não vale a pena comprar sapatos que sabemos que não vamos dar muito uso.



Evidenciar a vossa altura ou a vossa silhueta é importante?
 
Esta é outra escolha que temos de fazer - eu, por exemplo, não tenho isto como prioridade, sendo fã de modelos loose, oversized e pouco cintados. Por exemplo, uma das tendências que mais deu que falar (e apareceu) nos últimos meses é o blazer xadrez. Ora, eu iria obviamente optar por um modelo com os ombros mais largos e a direito, e não com modelos cintados e mais curtos.

Outro exemplo: mom ou bf jeans! São para quem "quer cenário", e não para quem quer beneficiar a forma física. (claro que há mulheres a que qualquer trapo beneficia - mas há sempre peças que o fazem mais que outras).



Experimentem com peças baratas. 

As dúvidas acontecem, ou até mesmo a vontade de apostarmos em algo sem grandes certezas de que vai resultar - ou mesmo só vontade de contornar "as regras" em prol de uma tendências que vos parece totalmente apetecível - tudo isto é permitido (até porque sabe tão bem sair "da rotina"). Mas... Não gastem muito dinheiro com isto!



Acima de tudo, e repetindo o que disse acima, DIVIRTAM-SE com a moda. Passem a mensagem certa, sintam-se bem nesta que é a vossa segunda pele, e não pensem demasiado!