Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alexandra Neto

Seg | 16.05.11

Inspiração - Cabelo!

Hoje passei no blogue da Ju - As coisas que eu acho (ADORO! É hilário não imaginam)?, e vi lá estas imagens maravilhosas que já me inspiraram... Até porque são os três compatíveis com a minha franjinha (:

Inspirem-se!!

Trança na diagonal, em que a minha franja fará parte da trança.

Trancinhas laterais, que se unem para se torneram numa só - que efeito tão giro! E a acompanhar, cachinhos babyliss.

Um trança larga "torcidinha" em que a minha franja voltaria a virar trança.

Os penteados são de longe o melhor antídoto ao consumismo - Podemos estar sempre diferentes sem gastar um tostão (quem já tem os acessórios necessários.... Placa de alisar, placa para fazer cachos, ganchos, laca, elásticos).?

Assim sem querer acabo de dar uma dica a quem acompanha o desafio "Um mês sem Zara"!! haha
Dom | 15.05.11

Porquê um mês? E porque se pode comprar maquilhagem?

Já tinha na ideia fazer um segundo post sobre o desafio que lancei a mim própria e ao leitores através do Facebook (ver aqui). Isto porque é um pouco óbvio que algumas pessoas possam achar a ideia completamente idiota ou até mesmo absurda.

Não que eu ache que precise de justificar as minhas ideias ou a minha maneira de ser, mas gosto do blogue e orgulho-me de ser um blogger que não ignora comentários, não deixa de responder e que gosta de interagir com quem passa aqui e lê o que escrevo! (:


Porquê um mês?

Se eu sou consumista? Sou! Se acho que isso é um problema na minha vida? Talvez sim, talvez não. Mas se for, não é grave. Não vivo para isso, apesar de achar que era bom consumir menos. Não falo apenas de roupa, mas de muitas outras coisas. É um geral!! Não se esqueçam de um pequeno detalhe (eu sei que é fácil esquecer, e por isso relembro) - Vocês aqui conhecem apenas UMA parte de mim, e da minha vida. A que está ligada à roupa, à moda, à escrita sobre esses dois aspectos. Mas acreditem quando vos digo que eu, como vocês, tenho muito mais para contar, e vivo muito mais do que aqui é transmitido, simplesmente não o faço.

E quanto ao tempo do desafio... Podia ser mais, não é porque... Não quero mais que isso! Isto foi apenas uma brincadeira que surgiu em comentários com a Chila Camomila. Se há quem passe mais tempo.. Óptimo! Se há quem ache estar um mês sem compras é algo perfeitamente normal? Melhor ainda, quem me dera ser assim!! No entanto acho que eu, e as restantes pessoas que entrámos neste "desafio" (ou mesmo aquelas que disseram logo não serem "capazes" - ou não quererem) não têm que ser julgadas como fúteis! Há quem não consiga estar um mês sem ver televisão... Há quem  não consiga estar um mês sem beber álcool... Há quem  não consiga estar um mês em dieta... Sei lá! Cada um tem os seus vícios, uns mais graves que outros, e cada um lida com eles como bem entende, mas não acho que pessoas que gostam de roupa tenham que ser marcadas automaticamente como as "FÚTEIS". Mas sobre isso já falei aqui. Judge less people! (:


Porque se pode comprar maquilhagem?


Eu compreendo que esta parte tenha confundido alguns de vós! É perfeitamente normal!! Mas a explicação é muito, muito simples. O que é maquilhagem extremamente necessária? Maquilhagem para trabalhar!! Eu não sei se a maioria de vós usa ou não maquilhagem diariamente, mas eu uso. E a tal sou "obrigada"! Não faço atendimento ao publico nem nada, mas durmo muito pouco tempo, e tenho uma má pele que tem tendência a ficar pior com poucas horas de sono... O que traduz a "extrema necessidade" de ir maquilhada para trabalhar. E acho que quem trabalha em equipa e tem "má cara matinal" devia ter esse gesto, nem que seja de respeito para com os outros, que não têm que estar a ver manchas, borbulhas e olheiras logo pela manhã. Eu sei, obviamente, o que são produtos de "extrema necessidade" e que maquilhagem não é uma deles, mas... Eu preciso de trabalhar, e não gosto de me apresentar com má cara ao pé dos meus colegas e superiores.

E sim, às vezes a maquilhagem acaba... E se por acaso algum dos produtos que eu uso diariamente acabar, eu terei que ir buscar outro!! Can we all agree on that?


Dito isto, boa sorte a quem se juntou a mim!! Vamos falando no nosso evento (:
Dom | 15.05.11

E hoje decidi!

Estar "Um mês sem Zara". Leia-se um mês sem comprar roupa, e acessórios (e maquilhagem que não seja extremamente necessária: verniz, batons, etc).
Não me perguntem porquê, mas hoje decidi que é um excelente desafio para mim... Será que consigo, será que não consigo??

Não sei, mas fica o desafio (adoro bons desafios!!).



Quem se quiser juntar ao desafio, clique aqui!!

E já agora, podem aproveitar isto como mais um tema sobre as perguntas (:
Vou tentar fazer o post já esta semana!!
Sex | 13.05.11

Diz que até gostei do lookbook da Zara...

Desde que a Zara decidiu disponibilizar loja online que o fascínio pelo catálogo, ou o lookbook se desvaneceu um pouco. E não fui só eu, aposto!

No antigo site da marca espanhola as peças disponíveis para visualização não matavam o desejo e vá de explorarmos o catálogo e (mais tarde) o lookbook em busca de toda a informação possível, de todas as novidades!

Entretanto veio a loja online com tudo o que se quer, e instalou-se o desinteresse geral pelo "resto". Têm sido meses sem aquela onda de posts sucessivos com os "best-off" do lookbook da Zara (lembram-se deste?).

A Zara retaliou este desinteresse com uma nova iniciativa - a PEOPLE!, a qual eu A-DO-RO! E devo dizer que, de minha parte pelo menos, isso teve duas consequências: desinteresse pela loja online e ainda mais desinteresse pelo catálogo e lookbook. Ao ver aquelas fotografias super inspiradoras, who the hell cares about the lookbook?! I dont!


Adiante, hoje dei um olhinho no lookbook de Maio, só "naquela", e - para minha surpresa - devo dizer que gostei! Gostei do facto de não haver demasiada cor (gosto de usar, mas já não posso ver nem ouvir falar de color blocking como se ainda fosse uma grande novidade!! HELLO?! Move on!!), usar tons pastel sem aquele ar "sooo last season", e também não estar uma coisa totalmente sem sal... Está giro, está "usável", "está Verão" (vejam a simplicidade das combinações, e como resultam tão bem - Mesmo "à la Verão") sem estar demasiado "prevísivel" (a tal questão da cor).




Gostaram? Não gostaram?
Qua | 11.05.11

Would you like to ask me something?

Já começam a conhecer melhor algumas das minhas blogueiras preferidas através da rubrica "Converseta com...", e hoje decidi lançar um novo desafio aos meus leitores.

O conceito não é, de todo, original, e anda a ser aplicado em variados blogues, mas eu gostei da ideia:
Quem quiser fazer-me uma pergunta (ou mais que uma), ligada às temáticas do blogue, então envie para o email:

labelsloveandgossipgirl@gmail.com

Eu responderei, num próximo post, a 10 dessas perguntas, e talvez num segundo post responda a mais.




Gostaram da ideia?

Fico à espera de emails!! (:
Ter | 10.05.11

Cute: H&M


Pois bem, continuo sem grande entusiasmo, excepto no que toca a este vestido...


Já ando a "galá-lo" há mais de um mês, mas - por embirrância - nunca me decidi a levá-lo para o provador. Mas depois reparei que estava a ser aquilo que mais gosto de ser na vida - parva! LOL O vestido é giríssimo, tem umas cores amorosas e espero gostar de ver (du-vi-dôôô).
Ter | 10.05.11

Converseta com... Silvana Querido

Hoje temos mais uma blogueira a dar-nos converseta - Silvana Querido, a blogueira por detrás do In Vogue, é uma caixinha de surpresas e uma mulher de armas: neste momento é jornalista de moda e stylist (como já vão poder ler mais abaixo), e parece que não vai ficar por aqui (:

Já tive o prazer de conhecer a Silvana, na FNO e na Moda Lisboa em Outubro, e por isso é com muito gosto que vos dou a conhecer um pouco mais sobre esta conterrânea (sim, ela também vos escreve da Margem Sul hehehe)


Silvana e a Moda

"Tinha sensivelmente 7 anos quando comecei a desenhar peças de roupa e acessórios em folhas brancas da impressora sobre o Atlas cá de casa. Foi também por essa altura, que o meu sonho de ser designer acabou por morrer quando a minha mãe repetidamente me alertava para a minha falta de jeito. A verdade é que a moda e a arte sempre me acompanharam desde cedo: pai pintor e mãe e avó com dedo para a costura. Quando foi altura de escolher, optei por uma licenciatura em Ciências da Comunicação onde mais tarde me vim a especializar em Marketing e Publicidade.

Ao realizar repetidos trabalhos de publicidade num âmbito mais criativo de desenvolver campanhas e spots publicitários, despertei novamente a minha paixão pelo visual e consequentemente pela moda. Paixão esta que me levou a Guimarães para realizar uma Pós-Graduação em Comunicação de Moda, vertente de Mershandising Visual. Finalmente podia discutir moda, o seu negócio, fotógrafos, styling, mershandising, espaço logístico entre outros assuntos envolventes. Foi aí também que desenvolvi planos de mershandising para lojas locais e pude aperfeiçoar o meu gosto por styling e produção.

Nisto, nasce o In Vogue, numa busca quase involuntária ao desfolhar uma Vogue Portugal. Tem sido meu escape e um pouco do meu mundo. Com ele desenvolvi o meu gosto pelo jornalismo, o que me faz hoje colaborar com a revista Rua de Baixo na área de moda desde 2010 e ter sido a correspondente internacional da revista brasileira Fino Trato em Portugal, tendo cobrido eventos como Estoril FashionArt e ModaLisboa. Atingi o pico da minha experiência profissional ao colaborar com a revista Cosmopolitan para a edição de Fevereiro de 2011. Neste momento encontro-me a trabalhar como freelancer, tendo sido responsável recentemente pelo styling do catalogo de Primavera/Verão 2011 da designer Marta Branco e estar envolvida no styling de uma produção para a revista Glam Rock Magazine cujo trabalho sairá brevemente."


Um pouco mais sobre Silvana

Não vivo sem ... a minha família e amigos.

Não sai de moda ... a humildade e bom gosto.

Vale cada centavo ... aquela peça que sem a qual não consigo dormir.

Melhor lugar do mundo ... Porto Covo.

Baratinho indispensável ... bâton do cieiro/hidratante.

Extravagancia necessária ... um fim-de-semana longe de tudo.

Adorei Ler ... "A lua de Joana". Eu sei que é demasiado cliché mas é um livro que me diz bastante pessoalmente. E se eu dissesse 'Style A to Zoe' de Rachel Zoe ainda seria mais cliché. A verdade é que não sou uma pessoa que goste muito de ler.

Estou mesmo à vontade ... na minha casa, com os meus.

Tendência que vou adoptar na Primavera/Verão ... Color Block.

Poção mágica de Beauty ... corrector de olheiras.

Quem te inspira ... alguém bem sucedido que apesar das dificuldades conseguiu realizar os seus sonhos.

Ultima compra ... vestido laranja Zara [acho].

Não perco um episódio de ... não sou viciada em series. Se não vir agora, vejo depois. 

Se tivesse budget ilimitado por um dia ... não tinha piada nenhuma.


Um grande agradecimento à Silvana! Espero que tenham gostado...
Seg | 09.05.11

Ohhhh Scofield, Scofield

Eu não sei quantos de vocês acompanharam, como eu, a série "Prison Break" com a devida emoção. Eu adorei a série... Não digo que não se tornou um bocado "novela mexicana" (ou neste caso concreto, uma novela no Panamá) MAS cativou-me do inicio ao fim.

O principal motivo? A personagem principal, o irmão mais novo de Lincoln Burrows e herói da trama - Michael Scofield!! Michael, interpretado por Wentworth Miller, é tudo o que se quer numa personagem para cativar o publico feminino: é giro, giro, giro, bonzinho, com um qi acima da média, herói e - para ajudar a festa - tem o corpo todo tatuado (para dar aquele ar de bad boy! hahaha). E, ainda por cima, faz par romântico (num "amor impossível", claro!!) com Sara Tancredi, a enfermeira de Fox River, a prisão onde se passa grande parte da primeira temporada.

Adiante, dá para reparar que eu sou uma grande entusiasta no que toca a Michael Scofield, certo? CERTO! Então imaginem qual não foi o meu espanto quando vi isto...



Tranformado nisto:



Cruzes, homem!! Nem o relógio te cabe no pulso!!! LOL

Enfim... Desilusão, desilusão!!!
Dom | 08.05.11

Look at me: Saturday Night!

Ontem, não sei se foi por estar inspirada na questão de não comprar roupas durante 1 ano, mas só usei peças com mais de um ano. Não foi propositado nem nada, mas quando olhei ao espelho reparei nisso. Até o batom (;

Adiante, hope you like it! Ontem saí apenas para um jantarinho a dois, visto que tenho um teste horrível esta semana e preciso de estudar imenso :((( Por isso não fui muito além da minha combinação clássica de Sábado à noite: blazer, tshirt branca, pumps pretos, saia colorida/florida, e "chaneuzinha".

Agora, com licença... Vou tentar estudar!! :(((
Sab | 07.05.11

I wish...

This bags were mine! (:


Resta esperar que as meninas cheguem aos saldos, porque não existe orçamento que sustente as duas. E não consigo decidir de qual gosto mais, qual Marco Paulo!!

Can you help me?? (:


Bom fim de semana
Sex | 06.05.11

UM ANO SEM COMPRAS??

Foi assim que eu reagi quando li este post no blog "Não somos os Beckham", sobre Joanna Moura, uma publicitária brasileira que, por motivos financeiros, decidiu estar um ano sem comprar uma unica peça de roupa (e quem diz roupa com certeza que diz sapatos, malas, bijuteria, etcccc). Para isso criou o blogue "Um ano sem Zara", onde posta diariamente os seus looks e pensamentos.



Eu juro que fiquei a pensar nisto e a filosofar no que significaria para mim um ano sem compras...

Mais dinheiro ao fim do mês (muuuito mais), mas "zero fun"! Gosto tanto de ir às compras: correr as lojas, sonhar com combinações novas, aquela excitação "do brinquedo novo?", a beleza de peças pelas quais nos apaixonámos, o up na auto estima...

Por outro lado, e lendo o primeiro post do blogue, conseguimos perceber o outro lado da questão... O lado "Becky Bloom" da questão! Sabemos perfeitamente que existem mil e outras coisas que, igualmente, nos podem transmitir satisfação, mas insistimos sempre no mesmo porquê? Têm noção que eu e algumas amigas raciocinamos financeiramente por preço/peça, do género alguém diz "isto custa x" e eu penso "É o preço de um vestido" LOL É o consumismo no seu estado puro, é quando o "gostar de roupa" se traduz em "precisar de roupa urgentemente", é o vício!!


Sinceramente, sei que tenho roupa para vestir sem grandes repetições durante um ano inteiro... Mas acho que não estou em "estado-Becky-Bloom", e não acho que tenha necessidades financeiras ou psicológicas que me levem a tomar uma decisão extrema como esta. No entanto acho que devemos aprender algo com isto tudo, e tentar desacelerar o desejo consumista, para que um dia não tenhamos um choque igual ao de Joanna (que estava prestes a ser despejada...).




Não sei o que diga mais sobre isto.... Filosofem comigo, vá!!!

Eram capazes de algo tão drástico? Sim, não e PORQUÊ?